quarta-feira, outubro 10, 2007

Primavera

Em tudo que é belo há uma parcela de culpa.
Eu não sou diferente.
Me escrevem versos, me fazem canções, anseiam por minha chegada.
Sou, sem dúvida, a mais esperada.

Certamente, alguns dirão:
Que nada!
É o velho astro-rei
quem nos dá a alvorada

Decerto retrucarei:
Tua alegria é passageira,
mas vejam o que lhes trago:
sou primeira e derradeira
Tanto começo,
como bem acabo.

Sou assim a preferida, mas cansei de meu reinado.

Se o cair das folhas
não lhes é nenhum agrado
Se o véu frio da noite
já ficou para o romance
ultrapassado

Sinto Muito! Bem alto brado!

Que saltem em outra estação!
Declaro a partir de hoje
Meu florescer
Aposentado!



Um comentário:

Doug disse...

Uau.

Se eu fosse pagar com algo mais precioso que tenho, seria um abraço.

Muito bom mesmo!

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Bacharel em Letras-Português Inglês pela UFRJ - Jornalista formada pela UNESA. Por mim mesma (26/07/2007) Não sei desenhar. Não vejo novela. Não sei quem é a atriz do momento. Como a nêga, nunca fui à Bahia não. Nem quero ir. Não gosto de mate. Não faço pilates. Nem ioga. Odeio Paulo Coelho. Abomino Jabour e Mainardi. Não queria morar numa cabana. Não queria ter um iate. Queria ter menos preguiça. Queria ter menos vontade. Queria tocar piano. Queria cantar. Bem alto. Queria ler todos os livros bons. Queria ler a alma, dos maus. Queria comer chocolate e não engordar. Rir na hora de calar. Queria ter mais amigos verdadeiros Queria ter menos amores vãos. Queria ter poderes mágicos. De parar o tempo. De fazer voltar as horas. Queria ter mais vidas Pra caber tudo Que eu queria ser.