quarta-feira, junho 20, 2007

Perder-se

Perco em mim a razão.
Palavras soltas ao vento,
versos gastos em vão.

Perco em mim o pudor.
Coração insano, mãos trêmulas
Não mais sei quem sou.

Perco em mim o tempo.
Em ti infinito, moro sem lar.
Acho-me então labirinto
Perdido eternamente na promessa do teu olhar.

2 comentários:

Fil Porto disse...

Quanta inspiração hein! lindíssimo! agora, a pergunta que não quer calar...qual a fonte de tamanha inspiração????hahahahahahhahahhahaha

Hanzo disse...

Encontre o pequeno ponto de luz, que está escondido nas profundezas da escuridão.

Caminhe em direção a ela. O difícil, é enxergá-la.

Mas, tente, e vc conseguirá.

Bjos!

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Bacharel em Letras-Português Inglês pela UFRJ - Jornalista formada pela UNESA. Por mim mesma (26/07/2007) Não sei desenhar. Não vejo novela. Não sei quem é a atriz do momento. Como a nêga, nunca fui à Bahia não. Nem quero ir. Não gosto de mate. Não faço pilates. Nem ioga. Odeio Paulo Coelho. Abomino Jabour e Mainardi. Não queria morar numa cabana. Não queria ter um iate. Queria ter menos preguiça. Queria ter menos vontade. Queria tocar piano. Queria cantar. Bem alto. Queria ler todos os livros bons. Queria ler a alma, dos maus. Queria comer chocolate e não engordar. Rir na hora de calar. Queria ter mais amigos verdadeiros Queria ter menos amores vãos. Queria ter poderes mágicos. De parar o tempo. De fazer voltar as horas. Queria ter mais vidas Pra caber tudo Que eu queria ser.